Amamentação

Tempo de leitura: menos de 1 minuto

É um momento de total interação e intimidade da mãe com o bebê. Com 1 ou 2 dias, o bebê já reconhece o cheiro da mãe. Ele sente e entende os sentimentos da mãe, seja de aceitação ou rejeição.

O leite materno é rico em gorduras, proteínas, lactose, vitaminas (A,D,E,K,C e complexo B); minerais (Ca, Fe,Zn,Cu, etc ); água e muitos fatores de proteção (anticorpos). Protege o bebê contra muitas doenças, em especial diarréia, pneumonia, otites, gastroenterocolite necrosante e outras infecções.

Diminui as possibilidades de surgirem problemas alérgicos, respiratórios e também de algumas doenças que costumam se manifestar mais tarde, tais como obesidade, pressão alta, colesterol alto e diabete.

O bebê que suga o peito da mãe desenvolve a musculatura crânio-facial, ajuda no posicionamento dos dentes na arcada, favorece a aquisição dos fonemas e proporciona uma respiração eficaz. Crianças que mamam na maioria das vezes não necessitam de chupetas para ficarem calmas.

Mulheres que amamentam diminuem as chances de ocorrência do câncer de mama, de ovário e de diabetes.

Favorece a contração do útero materno após o parto diminuindo as perdas sanguíneas e prevenindo a anemia.

Facilita a perda do peso que foi ganho na gravidez.

A produção de leite se dá de acordo com a demanda da criança, ou seja, quanto mais o bebê suga, mais leite é produzido. A prolactina, hormônio responsável pela produção de leite, é liberada mais à noite. Então, amamentar durante a noite ajuda a manter uma boa produção de leite.

LEMBRE-SE: É muito importante oferecer o leite materno no mínimo até 6 meses de idade. É recomendável que você continue amamentando até pelo menos 2 anos de idade.

A saúde do seu filho é responsabilidade sua.

Todos os bebês devem ser tratados com atenção e competência. Sua saúde nos dois primeiros anos é fundamental para toda vida. Os melhores cuidados com eles nesta fase são indispensáveis para a formação de uma personalidade saudável.

O recém-nascido que é amamentado raramente adoece e, quando adoece, raramente morre.

 

Saiba as vantagens da alimentação natural:

O bebê amamentado com leite humano, o único alimento com defesas contra doenças, torna-se forte, inteligente e emocionalmente feliz!

A criança nasceu para alimentar-se no seio materno. As vantagens do leite humano sobre o leite artificial, por mais modificado que ele seja, são incontestáveis

O colostro (nome dado ao leite na primeira semana de vida) é a primeira, “vacina” que a criança recebe; ele possui lactoferrina e lisozima, substâncias que protegem o bebê contra infecções; possui elementos poderosos, chamados macrófagos e linfócitos, que produzem o interferon, importante na defesa contra viroses. Possui anticorpos (defesas) contra várias doenças, principalmente as diarréias infecciosas. O colostro protege a mucosa (parede) do intestino contra infecções através da igA secretória (imunoglobulina A secretória), que impede a fixação de micróbios na mucosa intestinal. Assim, ao nascer, a criança possui defesa, que passa pela placenta por meio das imunoglobulinas G, fabrica sua defesa através das imunoglobulinas M e recebe pelo leite a imunoglobulina A, que não é encontrada em leite artificial. A grande importância das imunoglobulinas é o fato de elas serem a maior defesa que os bebês têm contra as infecções.

É mais nutritivo, pois, o cálcio do leite humano é mais bem assimilado do que o do leite de vaca e o de remédios. As crianças têm a probabilidade de se tornar mais altas e mais inteligentes;

É mais higiênico, não havendo perigo de estar contaminado, causando perigosa infecção intestinal. O colostro é naturalmente amarelado e espesso, não se trata de pus! A falta de compreensão deste fenômeno natural leva muitas mulheres a desistirem da amamentação;

Mamar ao seio não satisfaz apenas o organismo do bebê, mas também sacia a necessidade psicológica de sucção. A mamadeira dificilmente poderá substituir o seio, materno.

A mulher que amamenta conserva e aprimora sua beleza, destituindo de fundamentos a crendice de que amamentar faz os seios caírem. Entretanto, a nutriz (mulher que amamenta) deve evitar mingaus, cervejas pretas etc. que podem fazê-la engordar exageradamente. A dieta dela deve ser normal, com um pouco mais de frutas, legumes e verduras. Ela volta à atividade sexual, após o período puerperal (um mês) sem problemas;

Dar o seio facilita a volta do útero ao seu tamanho normal. A involução uterina é mais rápida e a perda de sangue é menor, pois durante a sucção do seio há contrações uterinas que facilitam a involução;

O fator psicológico de querer amamentar é um fator incontestável; a mãe que deseja amamentar facilita a saída do leite;

O leite materno protege contra a obesidade, pois a criança só toma a quantidade necessária, sem excessos, na composição exata para as suas necessidades;

A mulher que nunca amamentou costuma apresentar seios doloridos após os 35 anos de idade;

A amamentação protege contra o câncer de mama, que é muito raro em mulheres que amamentaram;

Amamentar não modifica a aparência dos seios, nem sua consistência e nem seu volume.

E o mais importante o leite materno é gratuito, o que facilita muito na redução dos gastos com o bebê.

Você gestante tenha esse privilégio e sinta esse prazer, amamentar é amor que cai em gotinhas. É simplesmente um ato de amor e perseverança.