O Olfato do Bebê

Tempo de leitura: 3 minutos

Já no ventre, o olfato do bebê começa a se desenvolver. No 7º mês de gestação o bebê pode sentir os odores transmitidos pelo líquido amniótico. O olfato é um sentido estreitamente ligado ao paladar. Nesse período o bebê começa a sentir os odores dos pratos preferidos da sua família e de sua cultura. Pelo olfato, o cérebro do bebê pode assimilar todas as impressões do mundo externo.O olfato do bebê 04

Após o nascimento, o recém-nascido pode utilizar todos esses odores experimentados no pré-natal. O bebê os mantém depois do nascimento e pode encontrá-los no leite. O olfato participa então na orientação do bebê em direção ao peito, guiando-o nas primeiras mamadas.

O bebê aumenta rapidamente o repertório de odores familiares, tais como o odor do pescoço e do rosto da mãe, seu cheiro, seu perfume. Todos esses cheiros têm um significado positivo: motivam o bebê a ir na sua direção, reconfortando-o em um momento de dor. Dessa forma o bebê pode ser reconfortado com um objeto impregnado com esses odores, por exemplo uma camiseta usada. O simples gesto de deixar esse objeto perto dele poderá ajudá-lo a adormecer.

Nas primeiras horas de vida o bebê já sabe distinguir os odores, mostrando através de mímicas aqueles que lhes são agradáveis. Também sabe distinguir um cheiro familiar de um cheiro novo.

Por volta dos 6 meses, quando começar a experimentar novos alimentos, o bebê terá sensações orais e nasais determinantes. As pesquisas mostram que aromas e sabores alimentares serão melhor aceitos pelo bebê se ele tiver sido exposto anteriormente a estes sabores e aromas através do leite materno.O olfato do bebê 05

O olfato é fonte de lembranças afetivas.

Os odores podem ser precocemente ensinados e memorizados, às vezes para toda a vida. Eles podem desencadear lembranças antigas, de momentos carregados de emoção. Da mesma maneira, as aversões olfativas e alimentares mais marcantes geralmente têm origem na infância. O cheiro das pessoas também constitui um fator dominante nas lembranças emocionais.

A criança, com seu olfato, pode distinguir seu pai, sua mãe, irmãos, avós. Esta aptidão precoce é feita tanto a nível de odores naturais quanto perfumes e essências utilizados por essas pessoas.

Aproveite os momentos privilegiados com o bebê para desenvolver o olfato.

Se estiver amamentando evite utilizar perfumes fortes e utilize o mesmo sabonete, se possível, sem cheiro muito forte, para que o bebê descubra o seu cheiro corporal natural, igual aquele que ele sentiu na maternidade, quando você o pegou no colo pela primeira vez.

Se der leite artificial este deve ser sempre do mesmo sabor. O despertar olfativo do seu bebê pode ocorrer de forma espontânea em contato com o mundo que o rodeia.

Para reconfortar o seu bebê, quando tiver que se separar dele, e para facilitar o sono, pense em deixar uma blusa usada por você.

Deixe o bebê ficar no colo de outros membros da família, do pai, dos avós, dos irmãos mais velhos. Ele vai estar exposto a odores diferentes, e isso irá ajudar no processo de interação social.

A partir dos 6 meses introduza alimentos. Ensine o bebê a apreciar os odores do mundo que o rodeia, não apenas os alimentares, mas todos os outros, como perfumes, temperos, flores, objetos e pessoas.

4 meses3Por volta de 1 ano e meio a 2 anos você pode continuar a exercitar o olfato do seu bebê através de jogos, ensinando os nomes da mesma forma que se ensina as cores. Livros sobre odores são uma excelente maneira de ensinar a distinguí-los.

Quando for dar o banho no bebê faça desse momento, um período de descoberta de odores, converse com ele e deixe-o sentir o cheiro da sabonete, da colônia, da roupa etc…

Cheiro de mãe é tudo que o bebê deseja para se acalmar.

Estimule a percepção sensorial do bebê, essa atitude vai gerar aprendizado, memória e linguagem.

Sobre Flávia Rohan

Consultora em Amamentação, Fonoaudióloga, Psicomotricista, Pós-graduada em Motricidade Oral e Audiologia Clínica.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *